domingo, 26 de fevereiro de 2017

Nacional 0-0 Feirense | Declarações dos treinadores

foto: MaisFutebol.iol.pt
Nuno Manta: «Vamos fazendo o nosso campeonato»

Nuno Manta, treinador do Feirense, em declarações na sala de conferências do Estádio da Madeira após o empate sem golos frente ao Nacional.

«Foi um ponto importante, mais um a juntar aos que já temos. Vamos fazendo o nosso campeonato, mas nada está ganho matematicamente. Na primeira parte passámos por uma situação complicada, pois o Nacional teve alguns lances de perigo junto à nossa baliza. Foi difícil controlar o Nacional e o seu jogo, mas tivemos momentos de boa posse de bola»

«Foi difícil, mas também fomos sendo eficazes a defender a nossa baliza. É verdade que o Nacional, na primeira parte, podia ter chegado ao golo, mas o Feirense também podia ter feito na parte final do jogo. Foi uma partida emotiva, muito jogada e muito bem apoiada pelo público do Nacional»

Jokanovic: «Estamos tristes porque não merecíamos empatar»

Jokanovic, treinador do Nacional, em declarações na sala de conferências do Estádio da Madeira após o empate sem golos frente ao Feirense.

«Vai ser complicado até ao fim. O que fica deste jogo é que somámos mais um ponto e só dependemos de nós. Estávamos a quatro pontos, agora estamos a três. É complicado lidar com esta pressão, aquela de precisar de vitórias. Se for a ver, em oito jogos empatámos cinco, mas merecíamos ganhar em quatro. Se acontecesse uma vitória nesses jogos, estávamos agora muito melhor»

«Na primeira parte falhámos quatro oportunidades flagrantes de golo. Não se pode perder estes lances. Fomos melhores e tivemos boas oportunidades para marcar mas, uma vez mais, faltou-nos eficácia. A nossa 1.ª parte foi muito boa, com boas oportunidades que foram travadas pelo guarda-redes do Feirense»

«Agora, estou triste, os jogadores estão tristes e os adeptos estão tristes, pois merecíamos ganhar este jogo. Da segunda parte é difícil falar, pois quase que não houve futebol. Não estivemos tão bem, não sei porquê. Houve menos futebol, menos oportunidades de golo, mas é difícil explicar o que aconteceu nesse período».

in: MaisFutebol.iol.pt
 

Nacional 0-0 Feirense | Destaques

foto: MaisFutebol

A Figura: Adriano Fachini

Duas defesas num só lance. Melhor era impossível. Foi o guardião alvinegro que manteve as esperanças alvinegras de permanecerem na Liga, ao defender exuberantemente dois remates no espaço de um segundo. O primeiro no chão, com a mão direita, e depois no ar, com a mão esquerda. Eram dois remates que levavam selo de golo e que só um grande guarda-redes poderia parar. Já na primeira parte, defendeu bem os remates de Karamanos e Etebo. Deveu-se muito a ele o pontinho para o magro pecúlio do Nacional na Liga e, tal como diz Jokanovic, depender de si próprio para se manter na divisão maior do futebol português.

Momento: Dupla defesa de Adriano (86’)

Este foi um jogo para os guarda-redes brilharem. Na primeira parte foi Vana, na segunda foi Adriano. O guarda-redes do Nacional evitou aquilo que podia ser o «golpe» final da permanência do Nacional na Liga. Duas defesas que fazem acreditar que não é pelo guarda-redes que o Nacional sofre, mas sim por ele que não perde.

Outros destaques:

Karamanos: Esteve muito pouco em jogo, mas foram dele os dois melhores remates do Feirense, e ambos podiam ter dado golo. Um jogador que arrancou muitas faltas a César e Tobias. Aos 86 minutos teve o golo da vitória no pé esquerdo, mas Adriano negou.

Vana: Foi a figura da primeira parte, principalmente quando defendeu superiormente dois remates de Ricardo Gomes e Sequeira, que levavam «selo» de golo. Ainda antes tinha sido obrigado a sair da sua área para impedir dois lances de perigo do mesmo Ricardo Gomes. Mostrou segurança e a ele se deveu o nulo ao intervalo.

Filipe Gonçalves: Dá outra qualidade ao meio campo, pois o seu posicionamento permitiu mais liberdade para Willyan e Washington, que muitas vezes foram segundos avançados. Ganhou muitos lances a Karamanos e Tiago Silva, facto que impediu o jogo ofensivo da equipa contrária. Raramente falhou um passe.

Washington: Muito mais ofensivo e muito mais interventivo na zona defensiva. Ganhou, é verdade, muitos lances no meio campo contrário, mas muitas vezes não tinha linha de passe, o que fez com que jogasse para trás com frequência. Foi importante para parar as investidas do Feirense, principalmente na segunda parte. Boa exibição de um jogador que não sabe jogar mal.

Sequeira: Foi capitão de equipa nesta partida. A primeira vez que foi lá à frente não saíram bem os cruzamentos, mas depois entrou no ritmo do jogo e teve muitos lances ofensivos. O melhor dos alvinegros em termos defensivos.

Outra vez o nevoeiro: Há muito que este fenómeno não aparecia por estas bandas. Faltou pouco para o jogo parar. Nos últimos 15 minutos não houve jogo. Os dois treinadores ocupavam quase a área técnica adversária para ver o jogo ofensivo da sua equipa. A pouca qualidade e emotividade do jogo também se deveu, em parte, ao «querido» nevoeiro.

in: MaisFutebol.iol.pt

Nacional-Feirense, 0-0 | Nulo no meio do nevoeiro

Nacional e Feirense empataram a zero, num jogo que teve duas partes completamente distintas e onde os guarda-redes foram as figuras. A equipa de Jokanovic foi muito melhor na primeira parte e construiu situações suficientes para sonhar com uma vitória que nunca chegou, enquanto que a segunda parte foi mais equilibrada e, já perto do final, foi Adriano Fachini a salvar os alvinegros de uma derrota, que na verdade não mereciam. A equipa madeirense vai já no oitavo jogo consecutivo sem ganhar, mais de dois meses e meio sem saber o que são os três pontos e, com isso, mantém-se “aflita” na Liga.

A equipa de Jokanovic entrou muito bem no jogo, pressionando muito o último reduto do Feirense e, principalmente, o lado direito da defensiva da equipa de Nuno Manta, aproveitando o facto de Jean Sonny estar adaptado a lateral direito.
Aristeguieta foi o primeiro a rematar a baliza de Vaná, embora sem perigo. Minutos depois, e na sequência de um canto, foi a vez de Sequeira obrigar ao guarda-redes da equipa contrária a aplicar-se para não ver a bola dentro da sua baliza. Estava um jogo animado, com quatro cantos só nos primeiros 15 minutos, dois para cada lado.

Ainda antes da meia hora de jogo, Ricardo Gomes já tinha obrigado Vaná a sair da sua área para cortar dois ataques prometedores dos alvinegros. À terceira, depois de uma «fífia» de Luís Rocha, o avançado nacionalista apareceu solto na área, livre de oposição e obrigou Vaná a aplicar-se para manter a baliza a zero.

O Feirense estava agarrado à sua linha defensiva, e pouco fazia para parar as ofensivas contrárias. Ia valendo Vaná...e alguma dose de sorte. Mas a emoção, muitos lances de perigo iam surgindo para a baliza do Feirense, embora sem a eficácia que Jokanovic certamente queria.

Só nos últimos cinco minutos da primeira parte é que o Feirense conseguiu inverter o «massacre» ofensivo do Nacional. Primeiro foi Karamanos que obrigou Adriano Fachini a defender para canto um remate que saiu junto ao poste direito da sua baliza, tudo na sequência de um contra ataque. Depois, na sequência do respetivo canto, Etebo aproveitou uma bola à entrada da área para rematar forte e colocado à baliza, obrigando o guardião alvinegro a uma nova defesa. Ainda antes do Intervalo, o Nacional voltava à carga, com Sequeira, num livre, a atirar à barra da baliza do Feirense. Chegava o intervalo com um resultado lisonjeiro para a equipa de Nuno Manta.

A segunda parte parecia mudar o sentido do jogo, mas o remate de Luís Aurélio, que obrigou Adriano Fachini a nova defesa logo no início, foi apenas uma miragem. O Nacional voltou à carga e a comandar as operações, perfeitamente instalado no meio campo adversário, mas agora sem criar qualquer situação de perigo. Era mais um domínio consentido pela equipa adversária, uma forma de cansar a equipa da casa. Os lances não era tão evidentes como os que aconteceram na primeira parte.

Já com Hamzaoui e Salvador Agra em campo, nos lugares de Willyan e Ricardo Gomes, a equipa da casa passou a pressionar mais à frente, muito por culpa da frescura física ofensiva que Jokanovic introduziu na partida. Mas foi de pouca duração. Já eram lances mortos à nascença pela defensiva contrária.

O Feirense voltava ao jogo e sentindo isso Nuno Manta coloca em campo Babanco, dando outra qualidade de passe e de construção de jogo. Aí, nessa altura, o jogo estava repartido em termos de poderio ofensivo. As faltas começaram a acontecer e o jogo entrou então numa área a roçar a pouca qualidade.

A chegada do nevoeiro veio confirmar a pálida exibição de ambos os conjuntos na segunda parte, parecendo que o empate servia a ambos. Se era verdade que a equipa forasteira estava satisfeita, o Nacional tinha os últimos dez minutos para inverter aquilo que dava o jogo. Sem poder emotivo, sem qualidade ofensiva, a equipa da casa procurava agora ganhar o ponto, muito por culpa do último «pressing» do Feirense.

E a equipa de Nuno Manta só não ganhou a partida devido a Adriano Fachini, que evitou por duas vezes que a bola entrasse na sua baliza. Na primeira a remate de Karamanos e, na segunda, na recarga de Luís Aurélio.

Como jogou o Feirense:

 Como terminou:

in: MaisFutebol.iol.pt

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Nuno Manta em alerta

O treinador do Feirense, Nuno Manta, não poderá contar com alguns elementos do plantel, nomeadamente Ricardo Dias (problema no menisco), Wellington (tendiníte no adutor), Kakuba e Platiny (lesionados) e Flávio Ramos (castigado).

Consciente das baixas, Nuno Manta acredita nas «soluções disponiveis», num jogo que pode vir a ser «bastante difícil». «O Feirense estará à procura de um resultado positivo, ao contrário do Nacional que irá só lutar pela vitória. É uma equipa ofensiva, vertical e que procura muito soluções de finalização», elogia o técnico.

in: jornal A BOLA

Treinador confia nas soluções que tem ao dispor

Nuno Manta Santos antevê dificuldades, amanhã, com o Nacional, que, tal como o Feirense, “vai fazer tudo para ganhar”. O técnico não conta com Platiny, Ricardo Dias, Wellington, Kakuba (lesionados) e Flávio (castigado), mas não dramatiza: “Acredito nas soluções que temos”.

in: Jornal de Notícias
R.A.S.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Nacional - Feirense | Liga NOS - Antevisão da 23ª jornada



CD NACIONAL vs CD FEIRENSE
17º CLASSIFICAÇÃO 13º
15 PONTOS 25
22 JOGOS 22
3 VITÓRIAS 7
6 EMPATES 4
13 DERROTAS 11
16 GOLOS MARCADOS 18
33 GOLOS SOFRIDOS 35


Árbitro: Manuel Mota (AF Braga)
Assistentes: Paulo Vieira e Jorge Fernandes
4ºÁrbitro: Rui Oliveira

Histórico de Manuel Mota em jogos do Feirense
Época | Jogo Res. | Competição
2010/11 | Feirense - Fátima 2-1 | 2ª Liga
2011/12 | Feirense - Marítimo 2-2 | I LIGA
2012/13 | Feirense - U. Madeira 3-1 | 2ª Liga
2012/13 | Naval - Feirense 2-0 | 2ª Liga
2012/13 | Feirense - Sporting B 1-3 | 2ª Liga
2012/13 | Feirense - Penafiel 2-1 | Taça da Liga
2013/14 | Chaves - Feirense 1-1 | 2ª Liga
2014/15 | Feirense - Chaves 0-2 | Taça de Portugal
2015/16 | Feirense - Leixões 2-1 | 2ª Liga
2015/16 | Varzim - Feirense 0-1 | 2ª Liga
2015/16 | Olhanense - Feirense 0-0 | 2ª Liga
2016/17 | Marítimo - Feirense 2-0 | 1ª Liga
12 Jogos | 5 Vitórias - 3 Empates - 4 Derrotas

Curiosidades
  • Este será o 20º jogo oficial entre Nacional e Feirense, o 6º em jogos da 1ª Divisão Nacional/1ª Liga.
  • O Feirense nunca conseguiu vencer o Nacional em jogos a contar para a 1ª Divisão/1ªLiga. Nos cinco jogos disputados, o máximo que os azuis conseguiram foi dois empates.
  • O Feirense perdeu os dois jogos disputados na Madeira, com o Nacional, a contar para a divisão maior do nosso futebol.
  • Nos oito jogos disputados no reduto do Nacional, o Feirense venceu um (em 97/98, para a Liga de Honra), conseguiu quatro empates e perdeu os restantes três.
  • No histórico geral, registam-se seis vitórias para o Feirense, cinco para o Nacional e sete empates.
  • O Nacional não vence há nove jogos consecutivos, todos a contar para a Liga NOS. 
  • O último triunfo dos madeirenses aconteceu na 13ª jornada, no dia 11 de Dezembro, na recepção ao Tondela, jogo em que venceram por 3-2, depois de estarem a perder por duas bolas a zero.
  • No jogo da primeira volta, no Marcolino Castro, o Nacional, então orientado por Manuel Machado, venceu por três bolas a zero, com um hat-trick do argelino Hamzaoui.
  • Nos onze jogos disputados no seu estádio, o Nacional conseguiu duas vitórias e quatro empates, perdendo os restantes cinco. 
  • O Nacional empatou os últimos três jogos em casa. (0-0 com o SC Braga, e 1-1 com Arouca e Belenenses).
  • Jokanović, como treinador, já defrontou o Feirense por duas ocasiões, em 2012/2013, na 2ª Liga, ambas ao serviço do União da Madeira, conseguindo uma vitória e uma derrota.
  • Desde que assumiu o comando técnico do Nacional, na jornada 16, em sete jogos, Predrag Jokanović somou quatro empates e três derrotas.
  • Nestes sete jogos, o Nacional marcou dois golos e sofreu oito.
  • O argelino Hamzaoui é o melhor marcador do Nacional com quatro golo apontados (três deles ao Feirense).
  • O extremo Salvador Agra é o jogador mais influente do Nacional, com 39% de influencia nos golos marcados. O segundo é o ponta de lança Nelson Bonilla, com 19%.
  • Nos últimos dez jogos (dois para a Taça CTT), o Feirense venceu quatro, empatou outros quatro (dois na Taça da Liga) e perdeu apenas dois.
  • Para este jogo, o treinador Nuno Manta Santos não pode contar com o defesa-central Flávio (castigado) e com o avançado Platiny (lesionado).
  • Tiago Silva mantém o estatuto de jogador mais influente do Feirense, com 22% de participação nos golos marcados. Seguem-se Vítor Bruno, com 17%, e Sérgio Barge e Luís Aurélio, ambos com 11% de influência.
  • O Feirense marcou sempre nos cinco jogos de Nuno Manta disputados fora de portas.
  • Em doze jogos oficiais com Nuno Manta no comando técnico da equipa, o Feirense conseguiu seis vitórias, quatro empates e duas derrotas. Marcou doze golos e sofreu nove.
  • Nos últimos cinco jogos da Liga, o Feirense conquistou 10 pontos em 15 possíveis.
  • Dos 25 pontos conquistados pelo Feirense na Liga, 11 foram conseguidos fora de portas. Desses 11, 4 foram conquistados na era Nuno Manta Santos.
Histórico de confrontos:

Época
Jogo Res.
Competição
1977/78 | Nacional - Feirense 2-2* | Taça de Portugal
1989/90 | Nacional - Feirense 3-0 | 1ª Divisão Nacional
1991/92 | Nacional - Feirense 0-0 | 2ª Divisão de Honra
1992/93 | Nacional - Feirense 2-1 | 2ª Divisão de Honra
1994/95 | Nacional - Feirense 1-1 | 2ª Divisão de Honra
1995/96 | Nacional - Feirense 1-1 | 2ª Divisão de Honra
1997/98 | Nacional - Feirense 1-2 | 2ª Divisão de Honra
2011/12 | Nacional - Feirense 2-0 | 1ª Liga
8 Jogos | 1 Vitória - 4 Empates - 3 Derrotas
7 Golos marcados - 12 Golos sofridos


    Ícaro terá nova oportunidade


    O central foi titular na receção ao Boavista, dois meses depois, e vai manter-se no onze
     Ícaro, defesa-central

    Ícaro voltou a ser titular na derrota caseira diante do Boavista (0-1), depois de dois meses afastado da titularidade. A última vez do central como primeira opção acontecera ainda com José Mota, na partida frente ao FC Porto, durante a qual foi expulso aos quatro minutos, ação que contribuiu para a goleada (4-0) sofrida pelo Feirense. Apesar dessa derrota, o regresso de Ícaro à titularidade ficou marcado por uma exibição de bom nível e Nuno Manta deverá dar-lhe nova oportunidade no jogo com o Nacional, no domingo, ao lado de Luís Rocha no eixo da defesa.

    Flávio Ramos, o outro central que estava a ser aposta do treinador do Feirense, vai cumprir o segundo jogo de castigo diante dos madeirenses e só estará de volta às opções na próxima jornada, na receção ao campeão nacional Benfica. Paulo Monteiro também é opção para o eixo defensivo, mas essa será uma hipótese mais remota, pois o técnico Nuno Manta quer manter as rotinas.



    in: jornal O JOGO
    ANDRÉ BASTOS

    Nuno Manta Santos e o Nacional: «Jogo de mata ou morre»

    Técnico do Feirense fala em grande empenho do plantel
    Jogadores motivados e com um grande empenho, num jogo «de mata ou morre» pela manutenção. Nuno Manta Santos, treinador do Feirense, sabe que o Nacional vai querer ganhar para sair da zona de descida e que os jogadores da Feira lhe estão a dificultar a vida… pelas melhores razões.

    «Os jogadores estão a dificultar-me a vida, porque têm trabalhado todos muito bem e sinto que estão cada vez mais competitivos. É o que todos os treinadores querem dos seus plantéis», afirmou Manta, considerando, assim, mais complicada a tarefa de eleger um onze inicial.

    O treinador do Feirense espera um adversário forte na luta pelos três pontos, mas alerta que o Feirense vai à Madeira procurar o êxito. «O Nacional em sua casa é um adversário sempre difícil. Estamos à espera de uma equipa que vai fazer tudo para vencer e tentar sair da posição em que se encontra", referiu, garantindo um Feirense «mentalmente e fisicamente» apto.

    Para a deslocação às ilhas, Nuno Manta não pode contar com o lesionado Platiny. Subsiste a dúvida sobre Ricardo Dias e Kakuba, que têm treinado de forma condicionada.

    O Feirense, 13.º com 25 pontos, defronta o Nacional, 17.º com 15 pontos, às 16h00 de domingo, em jogo da 23.ª jornada da I Liga. Manuel Mota, da AF Braga, é o árbitro da partida.

    in: MaisFutebol.iol.pt